II Encontro de Boas Práticas no 21

Poucos dias da volta às aulas, nossa equipe pedagógica realizou o II Encontro de Boas Práticas no Anglo 21. Durante a semana de planejamento, o encontro reuniu 28 trabalhos que se destacaram ao longo do ano letivo de 2018, com foco em práticas e projetos de aprendizagem. Os professores compartilharam suas reflexões e métodos com os colegas a partir dos trabalhos desenvolvidos com os próprios alunos em sala de aula.

Diferente da primeira edição, as apresentações dos trabalhos aconteceram em todos os segmentos do Colégio, desde a Educação Infantil até o Ensino Médio. O Encontro de Boas Práticas no 21 tem como objetivo não só partilhar saberes, mas também é uma oportunidade de autorreflexão do professor, uma vez que ele reflete sobre os trabalhos desenvolvidos no decorrer do ano escolar e compartilha os resultados e percepções com toda a equipe.

Para o coordenador do Fundamental 2, José Modesto, em sua primeira participação no Encontro de Boas Práticas, ele diz que o encontro é uma ação importante, pois revela práticas e experiências que muitas vezes ficam apenas nas sala de aula e acabam não sendo compartilhadas: “às vezes temos exemplos mais potentes e não conseguimos encontrá-los porque eles ficam circunscritos às experiências dentro de sala de aula”.

Os temas foram os mais variados possíveis, entre eles tivemos “Trezentos:  Uma metodologia ativa relacionada a forma de avaliação da aprendizagem”, projeto desenvolvido em Física que levou os alunos do 3º ano do Ensino Médio a participarem da 4ª edição do ICLOC Jovem. Em uma das mesas, tivemos também as “Discussões na aula de Matemática: para além da exposição de estratégias” que abordou a resolução de exercícios matemáticos assim como suas reflexões etc.

Segundo José Modesto, o encontro dá a oportunidade e encoraja o professor a falar sobre “seus fazeres, ainda que esses fazeres sejam corrigíveis e ajustáveis, isso não é problema, mas o professor vai se sentindo mais à vontade de falar daquilo que ele faz e toda a vez que ele é convidado a falar da sua experiência, ele precisa repassá-la, repensá-la, reprocessá-la”.