A formação em leitura na escola: o direito à literatura e a construção de mundos possíveis

Leio bastante desde criança. No início, contei com a ajuda de algumas professoras e de minha mãe que, generosamente, emprestavam suas vozes aos textos e me presenteavam com diversas histórias. No final da infância, já como leitora autônoma, descobri o prazer da leitura silenciosa. E descobri também outra coisa, que as histórias, as personagens me permitiam viver outras vidas, outras tramas, sem que eu deixasse de ser eu mesma. A experiência de viver a vida dos outros nos livros me ajudava a compreendê-los e a me entender um pouco mais. E à medida que eu descobria outras maneiras de ver a realidade, me emocionava com a minha nova inserção no mundo. Agradeço a todos eles.

 

Leia a matéria completa no BLOG DO ANGLO 21 no Estadão.